Notícias Esporte Você Comunidade

BANPARÁ

Justiça suspende resultado de concurso

Polícia
Publicidade

Segunda-feira, 19/09/2011, 08h21

Menina de 14 anos é violentada em colônia agrícola

Tamanho da fonte:

Perdi as contas”. Essa é uma das frases ditas pela adolescente T., de 14 anos, que fizeram chorar o conselheiro tutelar Benilson Silva, 35 anos. A adolescente se referia ao número de homens que a violentaram durante quatro dias no interior da Colônia Agrícola Heleno Fragoso, localizada no complexo penitenciário de Americano, em Santa Isabel do Pará, a 50 quilômetros de Belém.

T. foi entregue ao Conselho Tutelar às 11h30 do sábado, depois de quatro dias em que ela e mais duas adolescentes teriam sido drogadas, embriagadas, espancadas e violentadas por um número impreciso de detentos. “A cada dia ia aumentando o número”, contou a adolescente ao conselheiro tutelar. “Ela disse que perdeu as contas de quantos homens a violentaram”. No depoimento dado na Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data), T. contou que foi aliciada na segunda-feira (12/09) por uma mulher, na praia do Outeiro, distrito de Belém. A adolescente já estava foragida de casa desde junho passado e estava em companhia de um namorado.

No Outeiro, foi abordada por uma mulher que a convenceu a ir até a Colônia Agrícola. Lá, usou drogas e foi violentada seguidamente durante quase toda a semana. Na madrugada de sábado, a adolescente conseguiu fugir. A rota de fuga foi por área de mato que fica atrás do complexo penitenciário. Depois, teria pedido ajuda na guarita de segurança do próprio complexo penal.

A Polícia Militar foi acionada e encontrou a adolescente às margens da rodovia. A Polícia Militar encaminhou a adolescente primeiro ao Conselho Tutelar de Santa Isabel. Depois T. foi entregue ao conselheiro Benilson Silva. Em Belém, a adolescente prestou depoimento na Data e passou por exames de lesão corporal e de conjunção carnal.

Nesta segunda-feira irá fazer outros exames e tomar vacinas preventivas contra doenças venéreas, já que, segundo ela, todas as relações sexuais teriam sido feitas sem o uso de preservativos.

Ao conselheiro tutelar, a adolescente revelou que aos cinco anos de idade já havia sofrido violência sexual. Teria sido estuprada pelo próprio bisavô. T. foi levada a um abrigo da rede de proteção à criança e adolescente. Ela irá passar por atendimento psicossocial. “A família será acionada. Vamos fazer todas as tentativas para ver se é possível que ela retorne ao convívio familiar. Se não conseguirmos, faremos outro tipo de encaminhamento”, disse Silva.

EXONERAÇÃO

A Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) exonerou o diretor da Colônia Agrícola, o vice-diretor e todo o corpo de agentes prisionais que estiveram de serviço nos dias em que a violência sexual foi cometida. A Susipe não informou o que teria ocorrido com as outras duas adolescentes. “O caso está sendo investigado pela Data, mas está sob sigilo de Justiça”, disse o major Francisco Bernardes, superintendente da Susipe.

Adolescente foi aliciada em praia do Outeiro

De início, “T.” esboçou uma tímida resistência, com direito a mão no rosto, mas foi só o tempo de dar alguns passos e entrar na kombi do Conselho Tutelar de Belém para a adolescente de 14 anos se soltar e falar com detalhes sobre a exploração e abuso sexual que estaria sendo vítima no interior da colônia agrícola” Heleno Fragoso”, por presos do sistema semiaberto.

Os momentos de ilusões, de dor e até de amor foram contados à reportagem do DIÁRIO, na noite do último sábado, assim que ela terminou de prestar depoimento na Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data) e seguiu na Kombi rumo ao conjunto do Paar, em Ananindeua, onde tentou apontar, aos conselheiros, à polícia e a uma parte da imprensa a casa de “Anne”, a mulher que a teria aliciado e levado até a colônia.

“Ai tá, vou contar”, disse ela, na conversa de aproximadamente uma hora, que teve alguns cortes. “Eu tava em Outeiro e ela (“Anne”) me chamou. Aí ela perguntou se eu não queria ir para Castanhal, aí eu disse: ‘moça eu não posso minha mãe não deixa’. Aí ela disse: ‘fala que tu vai para a casa de uma amiga’. Aí tá. Eu aceitei e fomos para o Entroncamento e pegamos um ônibus para Castanhal e quando chegou em Americano nós descemos”, detalhou.

Nesse primeiro momento a menina não situou o dia em que ‘Anne’ teria feito a proposta, mas ao longo da conversa ela marca dois períodos o de segunda-feira (12) e o mês de agosto. Com relação a esse momento da chegada na colônia agrícola, a adolescente lembra que desceu do coletivo em frente a um bar.

“A gente desceu em frente ao bar, daí de lá a gente foi passando pelo mato; aí ela me empurrou e falou ‘vai andando na frente, vai andando na frente que aqui não é diversão nada, tem um motel aqui dentro’. Aí eu falei ‘Anne o que é isso? Pelo amor de Deus deixa eu ir embora, deixa eu ir embora’. Mas aí fui andando e tropecei bastante e me machuquei muito”.

Após cinco minutos de conversa ela parou e baixou a cabeça, o Conselheiro Benilson Silva a consolou e disse que “Anne” vai pagar pelo mal que fez. E a adolescente respondeu, “não é isso, é que eu tô nervosa”. Mais alguns segundos e ela prosseguiu, “Tá, continuando... aí ela (Anne) ligou pro ‘Faísca’ (rapaz que se diz apaixonada) e disse que... (pausa) eu tô famosa” (risos), por estar de frente com a reportagem.

“Aí eu falei com o ‘Faísca” e ele disse para eu não ficar com medo porque não ia acontecer nada comigo, aí eu confiei”. Ela acrescentou que “Faísca” se chama Rosivaldo e além dele conheceu outros meninos como Thiago, Victor o “Neguinho”, o Rodrigo e o Paulo. E lá, eles teriam dado bebida alcoólica e entorpecente.

DROGADAS

A adolescente percebeu a presença de mais duas garotas, que ela afirmou ser uma de 13 e outra de 17 anos, que também "Anne" teria levado. Ela disse que foi obrigada a beber e usar drogas junto com as outras meninas e depois as três foram abusadas sexualmente por todos os mencionados.

(Diário do Pará)

Comentários Recentes

  • Giselle disse: Comentário postado em 21/09 Quarta-feira às 13:59h "Isso é inacreditável. "
  • William disse: Comentário postado em 20/09 Terça-feira às 11:02h "Tem que acabar com essa história de visitas para detentos, esse é o motivo para a entrada de drogas, armas e agora adolescentes para fazer sexo com bandidos. Preso é preso e tem que permanecer onde está até pagar sua pena, visita tem que ser sem contato físico. Vamos mudar a lei! "
  • Marilene disse: Comentário postado em 20/09 Terça-feira às 08:51h "Anne tem q pagar por ser animal,acho se fizessem com sua filha ela iria adorar....acho engraçado todas essas pesoas q fazem isso pensam q nunca vão ser descoberto.Deus esta acordado e ñ dorme!!!!!!e tudo q é escondido um dia é descoberto.sabe desde quando ela esta fazendo isso.Governante Justiças e proteja nossas crianças."
  • Hamilton PC disse: Comentário postado em 19/09 Segunda-feira às 23:16h "É inacreditável, como que acontece um absurdo desses e o nosso governador, os poderes públicos também não fazem nada, não tomam nem uma providência para acabar com essas barbúdias em nosso estado, e o pior que essa tal SUSIP tem a maior parte do bolo erário, ou seja tem o maior orçamento que todos os órgãos do governo tem, pra que? se não fazem nada são um bando de incopentes, um bando de negligentes, e o povo é que paga."
  • Márcio Duarte disse: Comentário postado em 19/09 Segunda-feira às 22:24h "Até quando estas coisas irão acontecer em nosso estado, sai governo entra governo e nada muda, estes vagabundos vivem em uma colônia de férias, bebem usam drogas, abusam de menores, tudo isso
    com dinheiro público, dinheiro do suado do povo, que sai cedo todos os dias pra trabalhar, para sustentar esses miseráveis, escória da sociedade, senhor governador sei que o senhor é uma pessoa séria, acabe com essa colônia de férias, ponha estes parasitas em regime fechado acabe com essa farra."
Mostrar mais comentários [+]
Siga-me

Lojas do Tem! (Classificados)


IT Center
Shopping Pátio Belém - 2o piso
Shopping Castanheira - 1o piso
Gaspar Viana, nº 778
Yamada Plaza (Av. Gov. José Malcher)
Yamada Plaza (Castanhal)
Formosa Duque (Subsolo)
Formosa Cidade Nova (Subsolo)
RBA - Av. Almirante Barroso, 2190


Call Center Tem! (Classificados)
(91) 4006-8000

Fale Conosco

(91) 3084-0100

Central do Assinante

(91) 4006-8000

Endereço

Av. Almirante Barroso, 2190
CEP 66095.000 - Belém-PA

Redação


(91) 3084-0119
(91) 3084-0120
(91) 3084-0126
(91) 3084-0100

Ramais: 0209, 0210 e 0211

Twitter