Notícias Esporte Você Comunidade

ELEIÇÕES 2014

Horário gratuito começa dia 19

Pará
Publicidade

Sexta-feira, 23/09/2011, 09h02

Reunião pode encerrar greve dos professores

Tamanho da fonte:

A greve da educação pública estadual está mantida para a segunda-feira, 26, mas professores e governo do Estado se reunirão no mesmo dia, às 11h, a fim de tentar um acordo para barrar a paralisação.

Esta medida foi anunciada ontem pela manhã pelo secretário estadual de Educação, Cláudio Ribeiro, e pelo representante do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp), Ronaldo Rocha, na sessão especial realizada pela Assembleia Legislativa. Além de Cláudio Ribeiro participaram o secretário especial de Promoção Social, Nilson Pinto, e a secretária estadual de Administração, Alice Viana. Ela chegou a fazer um apelo aos professores para que não levem a greve adiante e garantiu que o governo está disposto a negociar com a categoria para chegar a um acordo de manutenção das aulas.

Porém, os representantes do governo mantiveram a postura de não expandir a proposta de reajuste do piso salarial nacional. O governo anunciou a implantação do Plano de Cargos, Salários e Carreira (PCCR), elaborado pelo governo Ana Júlia Carepa e aprovado em 2010 pela Assembleia Legislativa, mas que, apesar de ter sido negociado com os professores para implantação este ano, o atual governo assegura que não foi feita previsão orçamentária para pôr em prática. “Estamos reiterando que estamos abertos ao diálogo franco. Sempre acredito em negociação”, assegurou o secretário de Educação.

A greve depende do governo, segundo um dos coordenadores do Sintepp, Ronaldo Rocha. “Pedimos para o governo nos receber na segunda-feira, às 11h, e a decisão sairá de lá ou não, dependendo da negociação”, admite Rocha.

O grande nó que não foi desatado nas negociações entre governo e Sintepp é o piso nacional dos professores, determinado pelo Ministério da Educação (MEC) e já assegurado judicialmente, que ainda não foi implementado pelo governo do Pará.

PCCR

Os professores dizem que a implantação do PCCR pelo Estado não pode ser desligado do piso nacional da categoria. Atualmente, o piso do professor paraense da rede estadual está entre R$ 1.089 e R$ 1.100 e, segundo Nilson Pinto, até outubro o MEC poderá repassar o aporte de 30% que falta para complementação do piso nacional, que é de R$ 1.187.

A discordância entre as partes é de R$ 27 que o governo assegura que não pode bancar por falta de recurso. Cláudio Ribeiro disse que o Estado e o Sintepp podem juntos sentar e negociar porque ele não tem dúvidas que a greve vai afetar grandemente a situação do calendário escolar e, claro, dos estudantes.

O secretário admite que há uma preocupação da Seduc com os estudantes do terceiro ano do ensino médio, que se submeterão ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que se realizará em outubro. Porém, ele diz que essa preocupação se estende para todas as séries, com o calendário em geral.

Alice Viana informou que há uma necessidade de complementação do MEC em R$ 267 milhões para que o piso nacional da educação seja implantado. Além disso, o custo mensal do PCCR com o pagamento do piso aos professores será de R$ 13 milhões, já incluindo o décimo terceiro salário.

(Diário do Pará)

Comentários Recentes

  • ana emilia disse: Comentário postado em 16/11 Quarta-feira às 08:54h "professores por favor volte para a sala de aula nos estamos sendo prejudicadas por essa greve volte o mas rápido possivel"
  • daniele disse: Comentário postado em 27/10 Quinta-feira às 19:40h "sou estudante e estou sendo prejudicada por essa greve.
    Que o governo resolva isso o mais rápido possível."
  • Anooinomo disse: Comentário postado em 24/09 Sábado às 07:28h "Gente como Nilson tão é rindo à toa, pois quando mais desgraçada for educação pública mais fácil fica se elegerem. Afinal, um mundo em que esses seriam presidiários não querem nem pensar ser possível para os seus herdeiros"
  • beto naval disse: Comentário postado em 23/09 Sexta-feira às 21:11h "Professores uni-vos, nao somos respeitados por politicos nem há politicas publicas voltadas para a categoria.
    reclamavam da ana julia, e agora reclamem de quem do simão.
    arrocho do psdb, toda a categoria tem o governo q merece."
  • JOSÉ RIBAMAR disse: Comentário postado em 23/09 Sexta-feira às 11:35h "HEHEHEHE.IHIHIHIIHIH.KAKAKAKA É MENTIRA ESSA PROMESSA DO GOVERNO QUE VAI NEGOCIAR COM OS PROFESSORES. GOVERNADOR CARA DE PAU VEM DIZER QUE NAO TEM RECURSOS PRA BANCAR OS REAJUSTES, MAS PRA DAR MAIS DE 2.000.000 MILHOES DE REAIS PRA DEIXAR O ESTÁDIO MANGUEIRAO NOS TRINKS, ELE TEM, E O PIOR, SO PRA VER UMA VEZ O TIME PERNAS-DE-PAUS JOGAR COM A ARGENTINA. DEPOIS DO JOGO, FOI-SE OS MAIS DE 2.000.000 MILHOES. ESSA PROMESSA É PRA NAO ATRAPALHAR O JOGO DO DIA 28, QUARTA FEIRA. SE TIVER A GREVA E OS TAXISTAS TAMBÉM, FAI SER CÁOS EM BELÉM, E É ARRISCADO OS TORCEDORES NAO CONSEGUIREM IR NO CAMPO."
Mostrar mais comentários [+]
Siga-me

Lojas do Tem! (Classificados)


IT Center
Shopping Pátio Belém - 2o piso
Shopping Castanheira - 1o piso
Gaspar Viana, nº 778
Yamada Plaza (Av. Gov. José Malcher)
Yamada Plaza (Castanhal)
Formosa Duque (Subsolo)
Formosa Cidade Nova (Subsolo)
RBA - Av. Almirante Barroso, 2190


Call Center Tem! (Classificados)
(91) 4006-8000

Fale Conosco

(91) 3084-0100

Central do Assinante

(91) 4006-8000

Endereço

Av. Almirante Barroso, 2190
CEP 66095.000 - Belém-PA

Redação


(91) 3084-0119
(91) 3084-0120
(91) 3084-0126
(91) 3084-0100

Ramais: 0209, 0210 e 0211

Twitter