Diário do Pará Online

Adolescente é estuprada por mais de 10 homens


Anderson Santos e Yang Campelo confessaram o crime

Um grupo de mais de 10 rapazes abusou sexualmente de uma adolescente de 16 anos por toda uma noite, no município de Marabá, no sudeste paraense. A jovem tomou água com sonífero, o que a fez adormecer. Todas as cenas de sexo foram gravadas com a câmera de um telefone celular e depois distribuídas entre amigos. Três dos acusados já estão presos, dois dos quais confessaram o ato criminoso.

Jonatas do Carmo Moreira, 18 anos, e Yang Campelo, 19 anos, foram presos na última sexta-feira pelos investigadores da Seccional de Marabá. Anderson Pereira dos Santos, 21 anos, já se encontrava preso por participação a um assalto na cidade de Marabá.

Os três são vizinhos da adolescente e já foram encaminhados para a Penitenciária Estadual “Mariano Antunes”.

Os três foram enquadrados por atentado violento ao pudor, estupro e no artigo 240 do Estatuto da Criança e do adolescente (ECA) por divulgação de imagem de menor de idade em situação degradante.

De acordo com informações colhidas pela polícia em agosto passado, os rapazes pediram uns CDs emprestados à adolescente e quando ela foi à casa de um dos rapazes para entregar os objetos, a vítima pediu água. Ao tomar o líquido, já dentro da casa, ela ingeriu o sonífero.

Logo em seguida, a menor começou a ser abusada pelos rapazes que se encontravam na casa. A garota passou a noite toda no imóvel de Yang Campelo. Lá foi abusada de todas as formas. Os três presos são os que teriam repassado o “filminho” ao resto do grupo e dois deles, por aparecerem nas imagens, logo confessaram.

VÍDEO

A Delegacia da Mulher de Marabá começou as investigações depois que a própria vítima teve acesso às filmagens e, logo em seguida, mostrou para a mãe, que de imediato procurou a polícia. A delegada Adelina Del Pilar, titular da Delegacia da Mulher de Marabá, falou que há 15 dias recebeu uma denúncia de uma mãe afirmando que sua filha havia sido abusada sexualmente por alguns homens.

A delegada logo acionou sua equipe para fazer as investigações para poder qualificar os autores do crime.

De acordo com a delegada, a equipe teve dificuldades pelo fato de os autores serem vizinhos da vítima. Com a investigação, os cuidados foram redobrados para não levantar suspeitas. (Diário do Pará)